Escolas de Gouveia

Presidente da AMI no Agrupamento de Escolas de Gouveia

nobre-home1

Fernando Nobre, presidente da AMI (Assistência Médica Internacional), esteve nas Escolas Secundária de Gouveia e EB23 de Vila Nova de Tazem, no dia 5 de novembro, no âmbito do Projeto "Viver a Amizade" e da estratégia de Educação para Cidadania do Agrupamento de Escolas de Gouveia (AEG).

Fernando Nobre proferiu duas palestras subordinadas ao tema "Solidariedade Ativa", para uma assistência de cerca de 80 pessoas em Gouveia e 130 em Vila Nova de Tazem, entre estudantes, professores, colaboradores e outros elementos da comunidade. Houve também tempo para a realização de um pequeno debate sobre o tema em questão

O diretor do Agrupamento, Joaquim Loureiro, referiu que o AEG não se preocupa apenas com a educação académica, a chamada educação formal, mas também com a formação integral dos jovens. Assim, para além da defesa dos valores do “saber”, do “fazer” e do “saber fazer”, a preocupação com o “ser” é, no fundo, o grande valor que rege toda a ação educativa e, como tal, também o AEG. Esta preocupação está plasmada na missão do Agrupamento inserida no Projeto Educativo, onde se pode ler: “Prestar um serviço público de educação e formação de qualidade, em sinergia com a comunidade, visando a formação integral de cidadãos, preparados para aprendizagens ao longo da vida e, para o exercício de uma cidadania responsável”. Desta forma, de acordo com as palavras do diretor, toda a comunidade tenta promover diariamente valores como a solidariedade, a ética ou a justiça social.

Acrescentou ainda que na estratégica de Educação para a Cidadania, se refletem preocupações que são transversais à sociedade e, neste âmbito, o AEG propõe-se abordar e trabalhar temas como a educação para os direitos humanos, educação intercultural, educação para a paz, voluntariado, entre outros.

De entre estes valores, a “solidariedade” assume uma importância fundamental para a formação de cidadãos conscientes e ativos, atentos à diferença e à complementaridade, no sentido de aprenderem a viver numa sociedade que se deseja mais justa e solidária. O exercício da solidariedade no contexto do AEG, mais do que uma atitude fomentada e a fomentar de uma forma restrita ou seletiva, assume uma dinâmica transversal no sentido de ser o mais abrangente possível. Assim, pese embora a incidência pessoal que cada proposta de cariz solidária possa ter, verifica-se a preocupação que cada ação tem numa dinâmica o mais alargada possível. De forma geral, as atividades propostas a este nível procuram ter em conta toda a comunidade educativa, envolvendo, assim, alunos, professores, assistentes, pais e encarregados de educação, instituições e comunidade em geral.

Neste sentido, o AEG, atento a várias problemáticas sociais que não deixam de nos sensibilizar, tem promovido e participado em múltiplas campanhas de cariz solidário constituindo-se veículo ativo na promoção e desenvolvimento de ações de âmbito solidário. São exemplos: o projeto Viver a amizade, Ação Solidária – Cores no deserto, Ser + Solidário (comunidade Vida e Paz), recolhas de bens, banco alimentar contra a fome, campanha solidária da APRF, Marrere – Campanha solidária, entre outras.

Para finalizar a sua intervenção, Joaquim Loureiro referiu que: "Neste percurso que tentamos fazer todos os dias, é com muito gosto que recebemos na nossa escola o Dr. Fernando Nobre, presidente da AMI, a quem damos os nossos parabéns pelo excelente trabalho que tem vindo a desenvolver no fortalecimento da Cidadania global, solidária, informada, ativa, participativa e exigente como única solução que resta à Humanidade: Educação, Ética, Exemplaridade, na construção de um Futuro melhor e sobretudo mais Humano.”


laranja Vermelho Azul Verde Roxo